batata




Batata ou semilha[1] (Solanum tuberosum) é um tubérculo perene pertencente à família dasSolanaceae (Solanáceas em português).
A batata é originária do Peru, e é um dos vegetais mais utilizados no mundo. Existem seis outras espécies do género Solanum, com menor importância. Já a relação com a batata-doce é pequena, pois não compartilham gênero ou família, fazendo parte apenas da mesma ordem. Cultivam-se actualmente milhares de variedades de batata.

Origem


1.A batata é um tuberculo ,excrescência que aparece em qualquer parte da planta, mas principalmente na raiz
A batata é originária do Peru, onde fora cultivada desde eras imemoriais pelo povo inca, sendo chamada de "papa" na língua quíchua. Ainda em nossos dias, nos países andinos, produzem-se e comercializam-se mais de 200 variedades diferentes de batatas.
Recente pesquisa baseada no DNA comprovou que todas as variedades da batata descendem de uma única variedade de planta originária do sul do Peru. Esta mesma pesquisa evoca evidências arqueológicas de que o vegetal ali já era cultivado há 7.000 anos para efeitos de alimentaçãohumana.
Em 1570 a batata foi levada para a Espanha, de lá se disseminando para a Europa e depois para todo o mundo. Actualmente, a cultura mundial atinge a cifra de cerca de 300.000.000 toneladas/ano.
A batata é rica em grãos de amido, armazenados nos amiloplastos.
A batata tem vitamina B e C e é rica em ferro e zinco

Variedades


O número de variedades de batata é bastante considerável, conhecendo-se actualmente mais de 3000. As mais cultivadas são:
Variedades de casca vermelha
  • Asterix híbrido (Cardinal x SVP Ve 709) de casca vermelha e polpa bastante amarela, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho grande e com um teor de matéria seca alto. É susceptível a alguns vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco e em batatas fritas.
  • Bartina híbrido (Saturna x ZPC 62-75) de casca vermelha e polpa bastante amarela, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma redondo-ovalada de tamanho muito grande e com um teor de matéria seca baixo. Possui boa resistência à maioria dos vírus sendo moderadamente resistente ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco.
  • Désirée: híbrido (Urgenta x Depeche) de casca vermelha e polpa amarela clara, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho grande e com um bom teor de matéria seca. Possuí boa resistência a diversos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco e em batatas fritas.
  • Kondor: híbrido (KO 61-333 x Wilja) de casca vermelha e polpa amarela clara, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho muito grande e com um teor de matéria seca muito baixo. Possuí resistência a diversos vírus sendo moderadamente resistente ao ataque da phytophthora.
  • Raja híbrido (Elvira x CB 70-162-23) de casca vermelha e polpa bastante amarela, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto a alto, produz tubérculos de forma oval de tamanho grande e com um teor de matéria seca bom a moderado. Possuí resistência a maioria dos vírus sendo susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco, batatas fritas e batatas fritas de pacote.
  • Romano híbrido (Draga x Désirée) de casca vermelha e polpa branco amarelado, com maturação semiprecoce e bom rendimento, produz tubérculos de forma redondo-ovalada de tamanho grande e com um teor de matéria seca moderado a baixo. Possuí resistência a alguns vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco.
Variedades de casca amarela
  • Alaska: híbrido (Mondial x Inra 79.84.88) de casca amarela e polpa amarela esbranquiçada, com maturidade medianamente precoce e alto rendimento, podendo apresentar até 11 tubérculos por planta. É uma variedade adequada para climas mais quentes, especialmente mediterrânicos.
  • Aminca híbrido (Resy x Amaryl) de casca amarela e polpa amarela clara, com maturação muito precoce a precoce e rendimento alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho grande e com um teor de matéria seca moderado. Possuí boa resistência à maioria dos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em batatas fritas.
  • Baraka híbrido (SVP 50-358 x Avenir) de casca amarela clara e polpa amarela clara, com maturação tardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma oval de tamanho muito grande e com um teor de matéria seca alto a bom. Possuí resistência a maioria dos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em batatas fritas e batatas fritas de pacote.
  • Bintje híbrido (Munstersen x Fransen) de casca amarela e polpa amarela clara, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto a alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho grande e com um teor de matéria seca bom. Possuí resistência a alguns vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco, batatas fritas e batatas fritas de pacote.
  • Escort híbrido (Rental x Cebeco 64197-16) de casca amarela e polpa amarela claro, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma redondo-ovalada de tamanho grande e com um teor de matéria seca moderado. Possuí resistência a alguns dos vírus que afectam a planta apresentando boa resistência ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco e batatas fritas de pacote.
  • Frieslander: híbrido (Gloria x 74 A3)de casca amarela e polpa bastante amarela, com maturação muito precoce e rendimento moderado, produz tubérculos de forma oval de tamanho grande e com um baixo teor de matéria seca. Possuí bastante resistência a diversos vírus sendo susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco.
  • Hermes: híbrido (DDR 5158 x SW 163/55) de casca amarela e polpa bastante amarela, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento alto, produz tubérculos de forma redonda-ovalada de tamanho muito grande e com um teor de matéria seca bom a moderado. Possuí boa resistência a diversos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas.
  • Jaerla: híbrido (Sirtema x MPI 19268) de casca amarela e polpa amarela clara, com maturação muito precoce a precoce e rendimento alto, produz tubérculos de forma redonda-ovalada de tamanho grande e com um teor de matéria seca baixo a muito baixo. Possuí resistência a diversos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas.
  • Kennebec: híbrido (Chippewa x Kathadin x Earlaine x W-ras) de casca amarela clara e polpa branca, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento alto, produz tubérculos de forma redonda-ovalada de tamanho muito grande a grande e com um teor de matéria seca bom. Possuí resistência a diversos vírus sendo bastante resistente ao ataque da phytophthora.
  • Monalisa: híbrido (Bierma A1-287 x Colmo) criado na Holanda e hoje muito cultivada em França e em Portugal. De casca amarela e polpa amarela clara, com maturação semitardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma oval-alongada de tamanho muito grande a grande. Possuí resistência a diversos vírus sendo susceptível ao ataque da phytophthora. Destina-se ao consumo em fresco.
  • Picasso híbrido (Cara x Ausonia) de casca amarela e polpa amarela clara, com maturação semiprecoce a semitardia e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma oval de tamanho muito grande a grande e com um teor de matéria seca moderado. Possuí resistência a alguns vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco.
  • Sinora híbrido (Agria x AM 70-2166) de casca amarela e polpa amarela claro, com maturação precoce e rendimento alto, produz tubérculos de forma redondo-ovalada de tamanho grande e com um teor de matéria seca bom. Possuí resistência à maioria dos vírus que afectam a planta sendo susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em batatas fritas e batatas fritas de pacote.
  • Spunta híbrido (Béa x USDA x 96-56) de casca amarela e polpa amarela clara, com maturação semiprecoce e rendimento muito alto, produz tubérculos de forma alongada de tamanho grande e com um teor de matéria seca moderado. Possuí boa resistência a diversos vírus sendo muito susceptível ao ataque da phytophthora nas folhas. Destina-se ao consumo em fresco.
  • principais produtores
china,russia,india,ucrânia,estados uniods,alemanha,polônia,paises baix e frança




0 comentários: